Arquivo para Heavy Metal

Tuatha De Danann!

Posted in Bandas Comentadas with tags , , , on 12 de abril de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!


Hoje estou aqui para falar de uma das melhores bandas de Folk Metal, aquela banda que você ouve e lembra de cenas de um jogo de RPG, aqueles com anões, guerreiros e arqueiros elfos. Eu, como todo jogador de RPG (nesse momento você deve estar achando que eu sou aquele nerd que perde tardes jogando RPG), sempre coloco as músicas do Tuatha de Danann quando os guerreiros estão entrando numa cidade em festa, é muito bom!

Mas, como não estou aqui para falar de RPG ou outras coisas relacionadas a esse mundo, vou falar um pouco sobre a banda e comentar sobre os álbums da banda.

A banda mineira de Varginha, Tuatha de Danann, formada por Bruno Maia, Rodrigo Berne, Giovani Gomes, Rodrigo Abreu e Edgard Britto  iniciou suas atividades em 1995 sob o nome de Pendragon, com o intuito de fazer um som sem rótulos, mesclando o Heavy Metal com a música celta e medieval.

Em 1996 sai a demo tape “The Last Pendragon“, que já apresentava uma banda diferente das demais do cenário nacional e que rendeu ótimas críticas na mídia especializada. Após este período a banda mudou seu nome para Tuatha de Danann, que acabou melhor representando a temática proposta. O nome vem da mitologia celta, significa “Povo da Deusa Danú” seres encantados que dominavam a arte e a ciência, a poesia e a magia, uma das raças que povoaram a Irlanda.

Tuatha de Danann

No ano de 1998 é lançada a demo tape “Faeryage“, totalmente mergulhada na magia e beleza da música celta, regada a flautas, violinos, craviolas e muito peso. “Faeryage” impressionou a todos, agradando toda a mídia especializada, tanto do Brasil como do exterior, este resultado proporcionou ao Tuatha de Danann assinar com o selo Heavy Metal Rock.

Já em finais de 1999, é lançado um single com 4 novas canções e a demo tape “Faeryage” de bônus. Este material foi lançado em formato compact disc e com o nome “Tuatha de Danann“. Sempre com a mesma linha musical, a linda e mágica música celta e medieval mesclada ao metal, com vocais melódicos, guturais, flautas e muito delírio. Este cd rendeu ao Tuatha de Danann reconhecimento em todo o país, tanto de público quanto de crítica.

Tuatha de Danann

O cd debut da banda sai em outubro de 2001 intitulado como “TingaralatingaDun“. Este álbum é um convite ao total delírio na terra da magia, onde todos os elementos da natureza andam de mãos dadas.

O ano 2002 é marcado pelo lançamento do EP “The delirium has just began” trabalho experimental da banda que foi também lançado na França e obteve uma excelente aceitação do público e da mídia.

Assinando contrato com a Paradoxx Music, em 2004, foi gravado o novo trabalho, o álbum “Trova di Danú”, o Tuatha de Danann usou de suas grandes influências para seguir o estilo personalizado através da combinação do Rock e Heavy Metal, chegando a usar instrumentos não comumente usados no Rock como violinos, craviolas, flautas, gaitas de fole, harmônicas, etc.

Discografia(sem os álbuns demo):

2001 – Tingaralatingadun

O primeiro álbum “full-lenght” da banda lançado em outubro de 2001. Este trabalho é uma viagem à terra da magia, num típico cenário de um jogo de RPG.  Contando com dez canções inéditas TingaralatingaDun traz novamente as flautas, bandolins, violinos e, também, maravilhosas incursões ao mundo celta, retratadas nas letras das músicas. O álbum conta com as participações especiais de Magda Ferroni, Thiago Oliveira e Thiago Bianchi

2002 – The Delirium Has Just Began…

2002 foi o ano marcado pelo lançamento do CD The Delirium Has Just Begun, trabalho experimental que também foi lançado na França com resultado altamente positivo junto ao público e à mídia.
A banda havia participado de um dos maiores projetos que a cena “underground” brasileira já realizou: William Shakespeare´s Hamlet, com a música The Last Words, que foi incluida neste álbum e hoje é um dos clássicos mais pedidos pelos fãs em shows. Conta com as participações especiais de Izabel Tavarez, Leonardo Godtfriedt.

2004 – Trova di Danú

Em 2004 foi lançado o álbum de estúdio, Trova di Danú, onde o Tuatha de Danann confirma a força do seu estilo personalizado através da combinação do Rock com o folclore Celta, acrescentando o brilho do jeito brasileiro de fazer música internacional. A característica marcante está presente no uso de instrumentos que não são aplicados ao Rock com muita frequência, como violinos, craviolas, flautas, gaitas de fole, harmônicas etc. Conta com as participações especiais de Isabel Tavarez, Victor Rodrigues, Paul X, Marcio Sinzato, Marcus Vinicius e Roger Troyjo.

É isso aí galera, agora fiquem com uma música deles e procurem ouvir os cds que são muito bons!

Tuatha de Danann – Tingaralatingadum.


LONG LIVE TO THE ROCK!

Doro Pesch – Uma alemã heavy.

Posted in Bandas Comentadas with tags , , , , , , on 25 de março de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!


Hoje vou falar da Doro Pesch que foi vocalista da banda de Heavy Metal Warlock e uma das poucas cantoras de metal dos anos 80.  Depois de diversas mudanças na Warlock e Pesch ter sido o único membro da formação original, o que seria o quinto álbum da banda foi lançado somente sob o nome Doro, deixando de se chamar Warlock e dando início à sua carreira solo.

Doro Pesch

Inicialmente, Pesch fazia parte do grupo Snakebite, o qual deixou em 1983 para ingressar na Warlock.

Em 1987, depois do quarto álbum da Warlock, “Triumph And Agony”, tantos membros deixaram a banda que Doro Pesch foi a única restante. O que seria então o quinto álbum foi lançado apenas sob o nome Doro, deixando de se chamar Warlock.

Seu contrato de dez anos com a Polygram expirou em 1995, quando ela assinou com a WEA (agora Warner Music Group).

Em 1995, Doro fez sua primeira atuação em um programa de televisão alemão chamado “Verbotene Liebe” (Amor Proibido).

Depois da turnê “Love Me In Black” em 1998, Doro rompeu com a WEA e assinou com a SPV Steamhammer, e recentemente com a AFM Records.

Em 2004 foi lançado o álbum Classic Diamonds, regravando alguns de seus antigos sucessos, com a participação da The Classic Night Orchestra.

Pesch continua sua carreira solo, atualmente em Nova Iorque. Doro passou pelo Brasil pela primeira vez no festival metálico “Live ‘n’ Louder”. O show ocorreu na cidade de São Paulo, no dia 14 de Outubro de 2006. Ela é considerada a “Metal Queen”, com certeza ela faz jus ao título.

Doro Pesch

Discografia:

  • Force Majeure (Janeiro de 1989)
  • Doro (Maio de 1990)
  • Rare Diamonds (Março de 1991)
  • True At Heart (Agosto de 1991)
  • Angels Never Die (Fevereiro de 1993)
  • Bad Blood (1993)
  • Doro Live (Novembro de 1993)
  • Machine II Machine (Março de 1995)
  • Machine II Machine: Electric Club Mixes (Outubro de 1995)
  • Best Of (1998)
  • The Ballads (1998)
  • Love Me In Black (1998)
  • Burn It Up (2000)
  • Ich Will Alles (2000)
  • Calling The Wild (Setembro de 2000)
  • White Wedding (2001)
  • Fight (2002)
  • Für Immer (2003)
  • Let Love Rain On Me (2004)
  • Classic Diamonds (13 de setembro de 2004)
  • Classic Diamonds – DVD (2004)
  • Warrior Soul (2006)
  • Fear No Evil (2009)

Agora fiquem com um vídeo de uma das melhores músicas dela, e quem sentir interesse, procura depois a parceria que ela fez com o Blaze Bayley cantando a música “Fear of The Dark” do Iron Maiden!

Doro Pesch – Für Immer



LONG LIVE TO THE ROCK!

Symphonic Metal – A banda que se iguala a orquestra.

Posted in Gêneros Musicais with tags , , , , on 11 de março de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!

Hoje vou falar um pouco sobre este sub-gênero do Heavy Metal que possui elementos sinfônicos, fazendo com que o som, que pode ser reproduzido por teclados ou sintetizadores, fique similar ao de uma orquestra.

Este gênero musical se caracteriza pela utilização de vocais líricos e de vez em quando, de instrumentos eruditos.

“Symphonic” pode também (pouco frequentemente) descrever metal com elementos da música clássica que não parecem sinfônicos. Um exemplo é a banda Virgin Steele, que só ocasionalmente usa teclados orquestrais, mas, freqüentemente, usa piano com som clássico.

Existem bandas de symphonic metal em diversos gêneros do metal, como exemplo, Power Metal , Doom Metal e Black Metal, sendo que no Power Metal ele é chamado Symphonic Power Metal (Avantasia) e no Black Metal, Symphonic Black metal (Dimmu Borgir).

Os precursores desse sub-gênero são as bandas: Nightwish; Apocalyptica; Therion; Epica e Within Temptation.

Banda Epica

Em sua origem, o Symphonic Metal tem a idéia da inserção de trechos de músicas clássicas em álbuns de bandas de Death Metal, Black Metal e Doom Metal, entretanto, no início dos anos 90 bandas como Angra já flertavam mais inerentemente com o estilo, como em músicas como Stand Away e Lasting Child.

Contudo, o estilo musical se emancipa efetivamente com a banda Therion.

Banda Therion

A banda publica seus primeiros álbuns no início dos anos 90, com um som pesado como os estilos anteriormente citados.  Já em 1996, com o disco Lepaca Kliffoth,  nota-se forte influência de música clássica, mas ainda o metal pesado é a marca registrada.

Porém, é com o disco Theli (também de 1996) que de fato a idéia de mesclar música clássica ao Riff do Metal ganha vida e se levanta.  Músicas como “To Mega Therion” e “Cults of The Shadow” demonstram uma nova forma de se fazer Metal, com o refinamento de música erudita aliado a um som marcante e não menos pesado.

No ano de 1997, o Nightwish surge na cena Metal, exibindo vocais líricos aliados às guitarras.

Nightwish

Em 2003, surge uma obra prima do Metal Sinfônico. O disco denominado Secret of The Runes foi gravado com uma orquestra de fato, e esbanja qualidade sonora e o timbre real dos instrumentos eruditos , dispensando o limitado poder dos sintetizadores para este fim.

E como sempre, no final do post, um vídeo para você conhecer um pouco mais sobre o gênero musical em questão.  Para vocês que nunca ouviram este sub-gênero do Heavy Metal, escutem, o som é muito bom e as músicas são maravilhosas. As dicas eu eu dou são: Nightwish e Epica.

Nightwish – Where Were You Last Night

LONG LIVE TO THE ROCK!