Archive for the Músicas de Protesto Category

II Marcha contra a corrupção – SP

Posted in Músicas de Protesto with tags on 17 de outubro de 2011 by Ricardo Makaron

Hey folks!

Mais uma vez peço desculpas pela falta de posts, eu e o @liveinmadness estamos um tanto atolados!

 

Enfim dia 12 agora [quarta feira] enquanto muitos estavam dando presentes para seus pirralhos, 3 mil pessoas em Sp, 20 mil pessoas no DF e diversas outras pelo pais estava na rua protestando! E foi … FODA!

Crianças, idosos, adultos, jovens, cachorros [o.o] estavam presentes! Anonymus, mascarados, união do povo, joão revolta, vassouras e tantos outros se reuniram para protestar contra o fim da corrupção …

1 2 3 4 5 1000 ou acaba com a corrupção ou paramos o brasil ….

 

milhares ja acordaram … falta você! Dia 15 de novembro tem mais! Se informe!

 

BORA PRA RUA!

http://www.youtube.com/watch?v=hTktnzBJmf0

 

http://www.youtube.com/watch?v=etOyIFAtwv0&feature=related

 

Sem mais

 

@bloodyheavens

 

P.S.: A matéria ta curta e com pouca informação porque são quase 2:10 da madrugada de domingo pra segunda ….

Anúncios

Maconha!

Posted in Diversidade, Músicas de Protesto with tags on 23 de maio de 2011 by Ricardo Makaron

Hey folks??

Não se todos viram essa notícia.

http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/videocasts/919102-guarda-agride-reporter-da-tv-folha-na-marcha-da-maconha-em-sp-veja.shtml

Não vou defender ou apoiar a maconha, eu não fumo conheço gente que fuma.

Bom, pra começar nunca o brasileiro se organiza pra nada, quando se organiza a polícia aparece e fode com a porra toda.  A marcha tinha sido negada pela justiça por se dizer “incitação ao uso de drogas” e que a passeata podia acontecer desde que não fosse usada a palavra maconha ….. não viu sentido ? Pois é, eu também não!

Concordo que a motivos melhores pra se organizar 500 pessoas maaasssss o que garante agora que mesmo que essa passeata fosse contra o preço do ônibus que a policia não iria fazer a mesma coisa? Já que falar do aumento do Ônibus, do aumento do salário dos nosso governantes também também pode ser considerado um ato de “incitação a qualquer coisa”. Me admira um país em pleno século 21 usar a polícia para párar uma manifestação! O que voltamos a era Vargas agora?

E a polícia também sempre muito bem boazinha, só usou balas de borracha e bombas de efeito moral … SÓ! Afinal o que é um pouquinho de bala de borracha né??? E gás lacrimogênico coisa suave pra se enfrentar! A polícia bateu na imprensa, bateu nos manifestantes, fodeu com o comércio que tava aberto. A polícia correu atrás de quem JÁ TAVA fugindo. Legal né!

Polícia para quem precisa, polícia! Para quem precisa de polícia!

@RMakaron

Prefeito Kassab proíbe músicos na av Paulista

Posted in Diversidade, Músicas de Protesto, Vilões das HQ's with tags on 17 de dezembro de 2010 by Ricardo Makaron

Hey folks?

Vocês viram essa babaquice? Que a vossa excelência Dr Kassab chama de “lei” ?

Quem já andou na paulista sabe como é lindo o lugar, calçada grande, rua movimentada, um monte de coisa legal pra fazer, e música na rua …. ahh desculpem retirem o último item.

A justificativa é a seguinte os músicos, malabaristas, estátuas vivas, atores podem estar na paulista, mas não podem pedir “esmola” ou seja colocar o chapéu pra receber uns trocados …. Quer dizer eu posso tocar mas não posso comer? É isso? Então melhor assaltar mesmo, virar marginal!

Em todo o mundo músicos podem mostrar seu talento na rua, em chicago tem os street drummers, na itália violinnistas e por ai vai.

Incrível como as coisas são, flanelinhas, pedintes e etc estão isentos dessa lei, incrível né? É como se fosse direcionado a censura …. porque não censura a parada gay já que vivemos no maior país católico da américa latina ??  Aé, grupos de interesse.

Gostaria de lembrar a vocês que ninguém votou no Kassab mas votaram no Serra que abandonou o cargo deixando a prefeitura de mão beijada para o Kassab.

Segunda agora vai rolar um protesto http://twitpic.com/3go63z Venha, músico, simpatizante, amante, traga seu instrumento, traga sua voz!!!! Você é o chefe dos políticos, eles respondem a você então coloque-os em seu lugar como serventes e não como donos da casa!! Você pode! Você tem poder pra isso!

Tem um guitarrista na paulista super conhecido é o Rafinha, professor de música que sempre ta lá e é uma figuraça olha o que aconteceu com ele.

Rafinha professor de música - Esse é o nosso futuro

Rafinha professor de música - Esse é o nosso futuro

Esse é o Banner, venha você também!

Banner

Banner

 

 

NON DVCOR DVCO – Não sou conduzido CONDUZO!

R. Makaron

 

Te vejo lá.

System of a down voltando as turnês!!

Posted in Bandas Comentadas, Guitarristas, Músicas de Protesto, Shows with tags on 22 de novembro de 2010 by Ricardo Makaron

Hey folks!?

Beleza com vocês?

Como todo fã de heavy metal vocês devem conhecer a banda system of a down e infelizmente ela [a banda] estava em hiato desde de 2006 …. sim ESTAVA!!! YEH!!!!!!!!

Segundo um radialista francês a banda vai se apresentar em 6 de junho de 2011 no Palais Omnisports de Paris Bercy em Paris [faremos um trato, matamos o idiota se isso for mentira! kkk]! A banda que entrou em hiato e 2006 parece voltar com full power! Serj Tankian formou carreira solo e o guitarrista Daron Malakian e o baterista John Dolmayan formaram a banda SCARS ON BROADWAY, Serj lançou 2 discos e o Scars lançou 1, ambas ótimas bandas diga-se de passagem vale a pena conhecer ambas!

O interessante é que tanto o Serj quanto o Scars continuaram com suas abordagens sobre a humanidade e protestos muitos bem bolados, é aquela típica música que você precisa ouvir umas 2 ou 3 vezes pra pegar a Alma da música! Vou fazer uma matéria depois sobre a banda Scars on broadway afinal ela não é tão conhecida [infelizmente].

Deixo 2 vídeos com vocês, o clássico do SOAD – BYOB e uma dos Scars – World long gone!

Sem mais.

 

SOAD

SOAD

R.Makaron

Hugs!

Músicas de Protesto – Parte II

Posted in Músicas de Protesto with tags , , , , , on 14 de setembro de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!


Bom, estou voltando com essa série de posts sobre músicas de protesto, tinha esquecido dessa minha série, mas agora eu lembrei e estou aqui postando novamente ela!

Hoje irei falar da música Humanos, do Supla (Banda Tokyo). Eu sei que muitas pessoas odeiam o Supla, mas essa música é muito boa e fala a verdade sobre a sociedade que vivemos hoje em dia.

Humanos

Esses humanos que circulam
Pela cidade aí afora
Eu não aguento, eles querem me conquistar
Eu não aguento, eles querem me controlar

É fácil perceber que nesse trecho da música ele demonstra o ódio que ele tem da população que nos rodeia hoje em dia, querendo nos impor certas coisas que não condizem com o nosso jeito de viver. Mostra o sentimento de angústia ao ver as pessoas querendo nos manipular, para fazermos tudo aquilo que elas querem e do jeito que elas querem. Se olharmos com outros olhos, podemos ver que ela faz uma crítica à política brasileira, que tentar moldar seus cidadãos como eles gostam, fazendo com que todos se calem diante das injustiças que sofrem durante toda a vida!

Querem me obrigar a ser do jeito que eles são
Cheios de certezas e vivendo de ilusão
Mas eu não sou nem quero ser igual a quem me diz
Que sendo igual eu posso ser feliz

Nesse segundo e último trecho da música mostra que esses “humanos” querem que nós sejamos todos iguais, ou seja, que não exista a diferença, que é algo muito importante para todos, pois quem é diferente consegue “se achar” no meio daqueles iguais. Também tem um sentimento de ódio nesse trecho, pois hoje em dia a grande parte da população brasileira vive de sonhos e ilusões, achando que tudo um dia vai melhorar sem precisar se esforçar, achando que o governo irá os ajudar, só que isso não irá ocorrer. Não adiante viver de ilusão, temos que olhar a nossa volta, nossa realidade e ver que sem luta não há melhoria. E, volto a dizer que devemos ser diferentes, um mundo onde todos são iguais seria horrível, pois são das nossas diferenças que surgem as melhorias.

Bom, fica aí a analíse da música Humanos, sei que ela é bem pequena, mas mostra o que acontece hoje em dia no nosso país, políticos tentando nos comprar com falsas promessas de um Brasil melhor e quando chegam no poder, nada fazem, apenas roubam nosso dinheiro que suamos para conseguir e no máximo criam uma escola para falar “Olha, eu fiz algo!”.

E, fique esperto, as eleiçõs estão chegando, vote consciente, não vote em um Tiririca da vida, vote em alguém que tenha uma proposta séria e um passado digno! Se for votar no Tiririca, anule se voto ou se mate, pois você nunca irá fazer a diferença se continuar pensando pequeno.

Então, é isso galera, espero que tenham gostado e divulguem aí nosso blog e sigam a gente no twitter @sergiocontri e @RMakaron.

See Ya!

Músicas de Protesto – Parte I

Posted in Músicas de Protesto with tags , , , on 14 de julho de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!


Hoje estou começando mais uma série de posts, onde irei falar das músicas que foram feitas em protesto contra algo, desde a política até a mídia!

São inúmeras músicas assim, mas aqui só irei falar das melhores e aquelas que representaram algo para o povo, aquelas que marcaram gerações e que até hoje são lembradas e cantadas por todos, desde os mais velhos até os mais novos que sabem da história da música!

Irei começar falando da música Roda Viva, que foi composta pelo glorioso Chico Buarque e interpretada por ele mesmo juntamente com o quarteto MPB4!

Roda Viva

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu…

É nítido o sentimento de impotência que acometia a parcela da população que sabia o tamanho do perigo que o país encontrava-se ao passar por uma Ditadura. Ditaduras servem apenas para mergulhar um país em ruínas. Para atrasá-lo, se não de modo econômico, mas de modo cultural e social. A maior parte da população achava que estava tudo bem, pois não sabia o que se passava. E aqueles que sabiam de algo não podiam fazer muito, podendo sofrer sérias consequências. Era como se não estivessem mais ali (como quem partiu).

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá…

Roda-viva era um movimento de policiais que ficavam perambulando pela cidade e ficavam separando as rodinhas de pessoas que se formavam, para não deixar que eles combinassem alguma rebelião, não permitiam que mudanças sejam elaboradas. Os dois primeiros versos mostram a vontade de lutar contra tudo o que acontecia, enquanto os dois últimos apenas confirmam a impotência descrita na estrofe nº1.

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração…

O refrão cita diversas palavras com o termo “roda”. Roda mundo, roda gigante, roda moinho e roda pião, dispostos em sequência, dão a sensação de repetição e de continuidade, tal qual a roda-viva, que não para em momento algum. Isso apenas reafirma que, por mais que você tente ou não mudar algo, consiga ou não… A roda viva não para. O mundo não para para esperar, ou para ajudar.

A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a roseira prá lá…

Se uma tag pudesse ser inserida nessa análise, eu escolheria a palavra impotência. Não existe palavra que faça mais sentido, aqui. Observemos os primeiros quatro versos dessa estrofe. Nos dois primeiros, percebemos que existe a tentativa de causar mudanças e reflexões. Ir contra a corrente é ignorar a massa ignorante. Nos próximos dois versos, porém, admitem que nem tudo foi feito. A “volta do barco” é o retorno, a volta ao ponto inicial. Mais que o desejo de ter “voz ativa”, a esperança é cultivada, coisas boas são plantadas e aqui retratadas como uma “roseira” que, assim como todo o resto, é levado pela imponente roda viva.

A roda da saia mulata
Não quer mais rodar não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou…

A saia da mulata não roda mais; não há mais dança, não há mais serenata, não há mais roda de samba. É preciso admirar a genialidade de Chico Buarque ao retratar a quietude de um povo frente à censura que, impedido até de lutar pelo seu país, aquieta-se. Cala-se.

A gente toma a iniciativa
Viola na rua a cantar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a viola prá lá…

Faz-se, aqui, uma repetição da ideia de lutar contra a corrente. A figura da viola representa a música, as composições que poderiam fazer alguma diferença e são levadas pela roda viva… Censuradas pela Ditadura.

O samba, a viola, a roseira
Que um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou…

Depois de tanto lutar em vão, desiste-se de fazer a diferença. Como se a Ditadura, de fato, tivesse vencido, e qualquer resquício de mudança fosse ilusório, e tivesse sido levado por uma brisa qualquer.

No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a saudade prá lá…

Talvez o mais triste dos versos, mostra que já não há mais vontade de mudar. Existe a saudade no peito, aquela vontade de que as coisas voltem a ser como antes eram… Mas já existe tanto descontentamento, tanta tristeza, que é mais uma coisa que a roda-viva ceifa do peito de todos: a saudade.

Bom, fica aí a analíse da música Roda Viva para vocês, e espero que entendam um pouco mais do que acontecia na época da Ditadura aqui no Brasil. Essa época já passou, mas ainda vivemos uma Ditadura escondida, com censura e tudo mais! Que com o tempo isso mude, censura não está com nada e o povo brasileiro merece ter “Voz Ativa” nesse paí, devemos poder reclamar por melhorias sem sermos alvos de tiros com armas de borracha ou sermos alvo de algum tipo de repressália!

Deixo aqui meus sentimentos de pura tristeza com o que acontece no Brasil e que, volto a dizer, tudo mude com o passar do tempo! Pois não adianta mudar o mandatário do país e continuar a mesma merda de sempre! E, povo brasileiro, vamos reclamar mais, não vamos só abaixar a cabeça, aceitar o que eles querem e deixar tudo como está, vamos às ruas pedir melhorias para o nosso país!

Eu tenho orgulho de ser Brasileiro, mas teria muito mais orgulho se nossos administradores soubessem gastar nosso dinheiro de modo certo, ao invés de pegar e colocar o dinheiro em seus bolsos e fingir que está tudo bem, podiam melhor a educação do país e investir mais nos esportes, pois o esporte faz com que muitas crianças saiam das ruas e se tornem alguém na vida!

Bom, não irei me prolongar mais, pois quando eu começo, eu não paro. Espero que tenham lido isso até o fim e que mudem o pensamento de vocês, pois não adianta só reclamar e não fazer nada, tem que lutar contra isso.

Hoje não irei acabar com o “Long Live To The Rock”, irei acabar diferente…

VIVA O BRASIL! VIVA CHICO BUARQUE E TODOS AQUELES QUE PROTESTARAM CONTRA A DITADURA, SEJA EM MÚSICA OU EM PASSEATAS!