Archive for the Bandas Independentes Category

Entrevista com a banda “Jowker´z”

Posted in Bandas Comentadas, Bandas Independentes with tags on 31 de outubro de 2011 by Ricardo Makaron

Hey folks!

 

Como estão?

Vamos com mais uma entrevista!! Agora com a banda Jowker´z! Vencedora do palco mp3 do cifraclub que se apresentou na expomusic 2011! Sem muita enrolação vamos a ela!

AAR – O que significa jowker´z e quem são os integrantes da banda?

Jowker´z – O nome da banda surgiu da idéia do Bobo da Corte, formalizando ao coringa (joker). Sentimos uma sonoridade muito forte e vimos que, em sua historia, nos tempos medievais, o bobo da corte era a pessoa que conseguia a atenção da corte e dos reis através da diversão. Era muito inteligente e ousado. Usava de poesias, dança ou tocava algum instrumento dizendo o que o povo gostaria de dizer, chegando até a zombar da corte sem que percebessem. Identificamo-nos pelo fato de fazermos um som completamente diferente e ousado, buscando ver o que o povo sente falta no mercado do rock, para poder entrar no mainstream, que seria o lugar dos “poderosos”. Como o nome é bem disputado, mudamos algumas letras, o que deixou a sonoridade e estética ainda mais forte!

 

Os integrantes da banda são: Draco (vocal e guitarra), Thor (guitarra solo), Rava (baixo) e Mad (bateria).

AAR – De onde vocês são e como é o cenário musical principalmente rock?

Jowker´z – Nós somos da região bragantina, interior de São Paulo, das cidades de Atibaia, Bragança Paulista e Bom Jesus dos Perdões. Nossa região é mais voltada pra “moda” musical vamos dizer assim. Não temos espaços específicos. Talvez por estarmos em cidades não muito grandes, a diversidade musical é pouco respeitada. As casas de shows e eventos, em sua maioria, vai no que está na moda. No momento, temos muitas casas voltadas para o Sertanejo e o público vai nesses lugares não com o intuito de ouvir e curtir uma boa música (na região temos muitas duplas e músicos bons!) mas para tomar uma breja e sair pra pegação. A música é só mais um pequeno atrativo. Uma pena, mas acreditamos que isso vai mudar e que os artistas da região tenham seu valor reconhecido num futuro próximo.

AAR – Na expomusic desse ano [2011] vocês fizeram um show pro pessoal, como foi a recepção da galera e se vocês já estavam se apresentando antes?

Banda Jowker´z logo

Jowker´z – O show na Expomusic foi sensacional! Todos da equipe de organização nos receberam muito bem, deram todo tipo de suporte pra gente. Agradecemos demais o pessoal do Palcomp3 e Cifraclub. E a recepção do público não ficou para trás. Como já nos apresentávamos em algumas casas em São Paulo e interior paulista, alguns fãs foram prestigiar o show com a gente. E também tiveram pessoas que nos viram pela primeira vez lá. Pela energia do show e pela quantidade de pessoas que ficaram com a gente durante todo o show, não há dúvidas que pra eles, assim como pra gente, foi um momento de muita vibe positiva e rock n’roll na veia!

AAR – Vocês fizeram 2 covers welcome to the jungle [Guns] e  Beast And The Harlot  [Avenged], e no som de vocês senti uma boa referência ao avenged, qual a relação deles com vocês e outras influências?

Jowker´z – As nossas influencias giram em torno de bandas de Hard Rock e New Metal. Guns n’Roses é referência pra qualquer um acreditamos pois foi uma das bandas que evidenciaram o Hard Rock na década de 80. Avenged foi nossa primeira banda unânime com relação a nosso gosto musical Depois descobrimos outras mas ela foi nosso marco de união. Inclusive em nossa música “O jogo vai virar”, fizemos uma homenagem a eles com a introdução usando o mesmo timbre de toy piano usado em “Nightmare”. Além dessas bandas, temos outras várias que ouvimos e curtimos muito como Aerosmith, Whitesnake, Pantera, Dream Theater, Jimmy Hendrix, Metallica e outras bandas relacionadas.

AAR – Apesar de vocês cantarem em português o que é mais fácil [pra vocês] compor em Português ou inglês?

Jowker´z – Em nosso primeiro EP, todas as músicas foram compostas em português. Estamos trabalhando em algumas canções pro nosso próximo EP (ou CD) que provavelmente será lançado no segundo semestre do ano que vem. Nessas composições, haverá ao menos uma canção em inglês. Compor em inglês tem suas vantagens devido aos fonemas soarem melhor e a estrutura das frases serem mais simples. Além do que as canções em inglês são muito mais aceitas pelo público do rock. O lado negativo é que pelo fato de não ser a nossa língua nativa, sentimos um certo grau de dificuldade com relação a vocabulário, gírias, etc. Compor em português é um pouco mais difícil pelo fato da aceitação do público. Temos uma enorme preocupação em usar as palavras corretas pra não cair na mesmice do que temos visto no cenário até hoje. O grande desafio é fazer com que o público escute nossas canções como uma verdadeira canção de rock’n’roll. A língua portuguesa ainda é uma barreira pra isso mas nosso propósito é ousar e fazer acontecer.

AAR – Quem compõe as letras?

Jowker´z – A grande maioria das canções quem compõe é o vocalista Draco. Nesse segundo trabalho, teremos algumas canções em parceria com o guitarrista Thor.

banda jowker´z integrantes!

AAR – Por fim. Gostaria de saber o que vocês acham do cenário rock hoje no Brasil?

Jowker´s – Com relação ao cenário do rock, sentimos que está passando por uma fase de transição. Até um ano atrás vimos artistas muito preocupados em simplesmente escrever rimas óbvias usando acordes funcionais, a tal chamada “fórmula do sucesso”. O que aconteceu foi que tudo isso ficou repetitivo demais e todos os gêneros musicais se confundiram. Hoje, temos um vazio no cenário rock devido a isso. O processo de criatividade deu lugar ao processo de cópia. Agora acreditamos que todos sentem falta de algo novo, algo que realmente valha a pena parar pra ouvir. A próxima fase do cenário musical será uma fase de criatividade, atitude e renovação, no que depender da Jowker’Z, assim como já aconteceu há tempos atrás com movimentos como o Grunge, Punk, etc.

 

Show na expomusic: http://www.youtube.com/watch?v=8ECE1ZHt3e4

É isso ai! Se você curte um som mais parecido com o pessoal do Avenged esses caras tem o que você precisa!! Boa sonoridade letras excelentes e de qualidade! Veja o show e confira!!

 

HUGZ!

 

@bloodyheavens

 

Entrevista com Inkaktus Prole

Posted in Bandas Comentadas, Bandas Independentes with tags on 26 de setembro de 2011 by Ricardo Makaron

Hey Folks!!

 

Como vão!

Eu e o Seh [@liveinmadness] estávamos com alguns problemas pessoais e logo teremos mais regularidade no blog! Também esperava mais entrevistas mas muitas bandas não respondem os e-mails ai fica complicado!

 

Enfim! Não é o caso do Inkaktus Prole uma banda brazuca com uma filosofia muito boa e que vale a pena escutar! Segue a entrevista feita com eles via e-mail!

Estou falando com o DePauw um dos vocalistas da banda!

AAR – 1º Gostaria de saber qual o significado do nome da banda e quem são seus integrantes?
DePauw – Prole vem de Proletário.
O proletário possui apenas a sua capacidade de trabalhar. Os produtos gerados pelo seu trabalho não lhe pertencem.
Em tempos onde a musica é gratuita. Nós somos a Inkaktus Prole.
Somos 100% independentes.
Trabalhamos arduamente por cada passo conquistado. Típicos proletários do Rock.
Brass e DePauw nos vocais.
Tiago Moler no baixo, Edu Faria na guitarra e Rodrigo Sanches na batera.

AAR – 2º Na música “Tua vez” vocês cantam tanto em português quanto em inglês, pra vocês é mais fácil compor em ambas as línguas ou tem alguma que é mais fácil?
DePauw – Sempre compusemos em português. Está no nosso DNA.
Mas às vezes saem uns sons em inglês também. Em Espanhol pode rolar também.. se for um dia mais animado…
No caso de Tua Vez, o inglês entrou naturalmente, pois tínhamos em mente aquele estrangeiro que decide correr atrás do seu sonho na America, que é onde as coisas costumavam acontecer.

AAR – 3º Na música “Ménage” me lembrou um pouco dos raimundos vocês os tem como inspiração, e quem são os caras que vocês usam como modelo?
DePauw – Inspirações são várias. E cada integrante da banda chega com uma referencia diferente.
Raimundos foi uma das ultimas bandas de rock em português a fazer um respeitável sucesso entre os roqueiros de verdade. É uma puta banda.
Mas não seguimos nenhum modelo. O fato é que ninguém descobriu ainda qual é o melhor caminho para a musica em tempos de download gratuito.
Nós estamos desenvolvendo nosso próprio modelo.
Não vendemos nossa musica. É como se fosse liquida e devemos incentivar sua divulgação e reprodução ao máximo.
Pretendemos penetrar pelas frestas, pois pela porta da frente existem vários pedágios que interferem na produção da arte em si.

AAR – 4º Qual a mensagem que vocês gostariam de passar pro pessoal com suas letras?
DePauw – Lançamos um CD totalmente conceitual, onde todas as musicas constroem para a mensagem do álbum.
Essa grande mensagem é a filosofia SDR.
SDR é um jeito de pensar na vida. Parte do pressuposto que precisamos equilibrar três necessidades para ser feliz.
Socializar, Desligar, Realizar = SDR.
Através das músicas procuramos retratar momentos da vida que correspondem a estas três necessidades.
São 12 músicas, 4 para cada ciclo, todas inspiradas pelas nossas próprias experiências.

AAR – 5º Na música “Ménage” a uma relacionamento de duas lésbicas com um cara, vocês acham que hoje ainda rola esse preconceito ou o pessoal ta gostando?
DePauw – Tem de tudo hoje.
Se tirar a hipocrisia, a maioria das pessoas tem fantasias bem exóticas que preferem manter em segredo.
Alguns acabam realizando suas fantasias, outros não.
A tolerância das pessoas não é tão grande assim. Se colocássemos dois caras se beijando, ou duas mulheres feias se esfregando… a reação seria muito mais preconceituosa.
Não mostramos nada que não passa na Tela Quente.

AAR – 6º O que acham do cenário do rock atual nacional?
DePauw – Está em pura transição. O que é ruim para quem espera resultados no curto prazo.
Sempre tem bandas boas surgindo, mas são poucas as que permanecem, que persistem.
Hoje, o índice de persistência caiu muito, pois a maioria ainda sonha em ser adotado por alguma gravadora falida. Aí não tem como chegar a lugar algum mesmo.
Já a mídia tradicional, está em outra sintonia.
Não podemos contar com as rádios FM, pois elas ainda obedecem o modelo da antiga industria.
As TVs não aceitam Rock de verdade, tem que ser bem pop para ganhar espaço.
E a mídia impressa especializada só quer saber de quem é indie.
Sobrou a internet – o único território livre de influencias externas.
Quem não depende da mídia tradicional para conhecer musica nova, consegue conhecer muita coisa boa que andam produzindo por aí.
Pois a noticia boa é essa – Os custos de produção caíram muito.
E como não é mais necessário gastar milhões para gravar uma boa obra, fazer um som de forma independente não é mais sinônimo de ter baixa qualidade de gravação.

 

_

 

É isso ai!! Pessoal da banda muito gente fica e atencioso e um som muito bem produzido!! Muito sucesso pra vocês pessoal!!

 

Segue o link do site deles em que todos podem baixar e escutar as músicas de graça! Ainda tem o contato para shows!!

http://www2.inkaktusprole.com.br/index.htm

 

 

É isso ai folks!!

 

Sem mais !

 

HUGZ!

 

@bloodyhevens!


Sabe aquele show …. [2]

Posted in Bandas Comentadas, Bandas Independentes, Dicas da Semana with tags on 15 de agosto de 2011 by Ricardo Makaron

Hey folks!!

 

Me desculpem não ter postado sexta!

 

Como o Sérgio já tinha comentado o show do velhas foi demais!! Começando com violões, ritmos comportados [ritmos não as letras =P], deu a impressão que seria esse clima acústico o tempo todo …. mas ….

Com presença de palco fantástica de todos os músicos em destaque, claro, pro Paulão e pra Juliana, trocaram os violões por riffs de guitarra, blues, rock, fazendo o CCSP ficar pequeno para uma banda de 25 anos e com muito chão ainda pela frente! Clássicos como “abre essas pernas”, “esse seu buraquinho”, “Sr sucesso” e até a surpreendente “domingo de sol” que eu não ouvia a muito tempo!!

Foram próximo de 2horas de show em que valeu a pena cada segundo!!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Fiquem com o SlideShow das fotos que eu tirei!! E vão no show, ajudem a banda! 25 anos de independência não é pra qualquer um!

 

No site deles você pode ajudar contribuindo uma quantia qualquer para o novo album! Entre no site dos velhas http://www.velhasvirgens.com.br/ no lado direito você já acha o banner pra poder ajudar! Valor mínimo de 30 reais e a meta tem que ser atingida até 28 de agosto! Vamos lá pessoal!!

 

É isso ai!

 

@bloodyheaven

 

See ya!

MP13 – Uma banda de puro Rock’n Roll!

Posted in Bandas Independentes with tags on 24 de março de 2011 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!

Hoje estou aqui para mostrar para vocês a entrevista que fizemos com a Banda MP13, que tem um som bem legal e envolvente!

A banda não é muito conhecida no cenário musical brasileiro, mas eles tem um som tão bom que espero que sejam reconhecidos logo logo!

Fica com vocês a entrevista:

Banda MP13

Banda MP13

 

1º – Para início de conversa, conte para nós quem são os integrantes da banda e quais instrumentos cada um toca.
Os integrantes são: Eu (Leandro Mendes) guitarra base e Vocal, Evy Simon Vocal, Rodrigão Guitarra Solo, Baldin Baixo e Fernando na Bateria.

2º – Em que ano a banda começou e por quê? Já eram todos amigos ou foram se conhecendo no decorrer da formação da banda?
A banda existe desde 2000, mas com uma formação antiga da qual somente o Rodrigão ficou. A formação atual tem 3 anos. Eu, o Baldin, o Rodrigão e a Evellyn nos conhecemos desde a época do Colegial e o Fernando é meu primo. Todo mundo sempre curtiu muito música e já tinham tocado em outras bandas.

3º – Em que estilo musical vocês se inspiram e quais bandas foram as grandes inspiradoras para a formação desse estilo musical que vocês fazem?
Como todos nascemos entre o final dos anos 70 e começo dos anos 80, tivemos uma influência muito grande do Rock n’Roll do final dos anos 80 e 90, e isso inclui bandas como Guns n’ Roses, Pearl Jam, Stone Temple Pilots, Foo Fighters e muitas outras bandas interessantes que tocavam no rádio e até mesmo passavam na MTV nos anos 90.

4º – Quando vocês começaram, qual foi o principal motivo de fazerem um som assim?
Na verdade não pensamos exatamente que som a gente ia fazer, só tinhamos noção que o som tinha que nos agradar, por isso os elementos das músicas tinham que ter “a ver” com nossas influências. Apesar de ter sido involuntário, conseguimos chegar a um tipo de som que acredito estar meio escasso hoje em dia. Não conheço muitas bandas que tentem ser Pesado, POP e melódico ao mesmo tempo. Temos todos esses elementos em “Tanto Faz”, por exemplo.

5º – Se vocês já fizeram algum show e qual foi o mais marcante para vocês e o motivo.
Sem dúvida o mais marcante foi o que fizemos em Cachoeira de Minas. Tanto pelo show, quanto pelas histórias.
 

6º – Já aconteceu alguma cena bizarra/engraçada com a banda ou com algum integrante da banda que marcou esse grupo?
Acho que foi em uma entrevista que fizemos para uma TV em Guarulhos/SP, onde fui explicar o sentido da música Senhores da Guerra que fiz enquanto assistia o Clip do U2, Miss Sarajevo onde era retratada a guerra da Bósnia. Ao invés de dizer sobre a guerra da Bósnia, mencionei como se fosse guerra da Somália. Me zoam até hoje por isso. 

7º – De onde surgiu o nome da banda?
Foi de uma lista de 12 nomes. Nenhum prestava, então foi pensado em um provisório, o 13º da lista. Uma Medida Provisória nº 13.
Daí abreviamos e ficou MP13. Hoje em dia com esses papos de MP4, MP5… até MP13 mesmo já inventaram. Achamos interessante essa analogia com a tecnologia, mas não foi intencional apesar de depois termos aproveitado a situação para criar o slogan “O novo formato do rock”
 

8º – E, para finalizar, qual mensagem que vocês passam para as bandas que estão surgindo agora e querem crescer no cenário musical.
Façam som próprio, a não ser que você queira ser o cara mais famoso da “Noite”. No geral, pra gente o som próprio sempre deu mais certo. Outra coisa, organize-se e comunique-se! Banda independente sozinha não vive!
Essa é a entrevista que fizemos com a Banda MP13, e quem quiser ouvir o som da banda, é só clicar aqui para baixar o álbum deles, que é muito legal, eu aprovo!

E para quem quiser vê-los ao vivo, ele irão tocar dia 01/04 no Ego Clube às 22hs. Ingressos R$25,00  na porta! Eu espero conseguir ir!

See Ya!

Matanza!

Posted in Bandas Comentadas, Bandas Independentes, Lançamentos de cd's with tags on 11 de janeiro de 2011 by Ricardo Makaron

Hey folks?!

Eu tinha que postar ontem né? Alzhaimer é uma merda ….

Enfim! kkk

Bom me desculpem, falha minha!

Anus novo, vida velha e o matanza depois de 6 anos lançara seu novo disco! Aeeeeeeeeeeeee Uma rodada de whisky pra todo mundo. Seu novo disco “Odiosa Natureza Humana” vem com tudo que fez sucesso, a barba do Jimmy e músicas falando porquê se deve ir beber e xingar todo mundo!

Ta ai um videozinha nada oficial da música!

Hugsssssssssss

A equipe do AAR deseja um happy heavy metal year!

R. Makaron

Expomusic 2010

Posted in Bandas Independentes, Diversidade, Guitarristas, Shows with tags on 27 de setembro de 2010 by Ricardo Makaron

Hey, folks?

Sábado agora eu fui na expomusic 10! Um dos eventos que espero o ano todo pra ir e nunca saí de lá decepcionado e esse ano não foi diferente, muita coisa nova, standarts de diversas marcas de guitarra, violão, baixo, metais, bateria, voz, revistas etc… Fora os shows que foram foda! Assisti 2 em particular que eu adorei, o do Kiko loureiro e da banda Skin Culture [death metal no talo!].

Fora as atrações de sempre teve palestras sobre música, instrumentos, marcas …

Bom eis as fotos.

Lembrando!! Eu e o Sérgio vamos começar a revezar as sextas feiras pra não ficar sem posts,

sexta agora é minha.

Hugs!

Blind Pigs – Punk Rock de Alphaville!

Posted in Bandas Comentadas, Bandas Independentes with tags , , , on 11 de agosto de 2010 by Sergio Contri

Hey Hey Hey!

Hoje estou aqui para falar da banda Blind Pigs, que a partir de 2006 trocou o nome para Porcos Cegos (nossa, que diferença!) e, que por incrível que pareça, é uma banda composta por moradores de um condomínio de alto padrão de Alphaville! É, o punk rock também surge de lugares assim, por isso que eu digo que o que faz uma pessoa ser Punk é a ideologia e não o jeito que ela se veste ou de onde ela veio, do subúrbio ou não!

A banda foi formada em 1993 e tem influências de Forgotten Rebels, Misfits, Ramones e The Clash. A banda lançou 4 álbuns (incluindo um ao vivo) entre 1997 e 2004, ainda sob o nome de Blind Pigs, todos produzidos independentemente pela gravadora DIY própria, Sweet Fury Records. Em 2005 foi anunciado no site oficial e em webzines que fariam uma pausa indeterminada, segundo os próprios, por motivos pessoais. No início de 2006 a banda retornou em uma nova postura lançando o disco Heróis ou Rebeldes, com novo nome e músicas somente em português.

Blind Pigs - Sao Paulo Chaos

Alguns fatos curiosos sobre a banda:

  • O nome Blind Pigs, posteriormente Porcos Cegos, é uma referência a um bar de Ann Arbor, MIEUA) em que o pai de Henrike costumava assistir a shows punk.
  • Tiveram seu primeiro álbum, São Paulo Chaos produzido por Jay Ziskrout, ex-baterista do Bad Religion e dono da Grita! Records.
  • Abriram shows para bandas como Dead Kennedys e NOFX no Brasil.
  • Pablo, guitarrista da banda durante o disco Blind Pigs (2002), hoje é roadie da banda CPM22 e guitarrista da banda Medellin.

Blind Pigs!

Discografia:

São Paulo Chaos — 1997 Grita! Records (EUA), Alfa Music (Japão) e Paradoxx Music(Brasil), 2001 Sweet Fury Records (segunda tiragem)
The Punks Are Alright — 2000 Sweet Fury Records, 2003 Amanecer Records (Peru)
Süsse Wut — 2002 (vinil 500 cópias vermelho, 500 cópias preto) Höhnie Records e Dirty Faces (Alemanha)
Blind Pigs — 2002 e 2005 (segunda tiragem com 5 faixas bônus) Sweet Fury Records
Suor, Cerveja e Sangue (ao vivo) — 2004 Sweet Fury Records
Porcos Cegos EP — 2004 Sweet Fury Records
Heróis ou Rebeldes — 2006 Sweet Fury Records

Bom, agora é correr no youtube, 4shared e ouvir as músicas deles, pois são muito boas! Ah, eu não coloquei vídeo por pura preguiça, estou com sono e tenho aula amanhã, então, procurem! XD

See Ya!